Vamos iniciar o projeto SindTalks, onde o Sindinfor entrevista nomes do ecossistemas de tecnologia em Minas Gerais.

A primeira entrevistada é a Enilda, Analista de Atendimento (Suporte) da Tracksale, nossa associada.

VAMOS LÁ!

Faça um breve resumo da sua experiência/trajetória.

A minha experiência profissional em maioria se direcionou ao atendimento. Minha primeira experiência foi como atendente de telemarketing, em seguida fui estagiária de comunicação interna, continuei logo após como atendente de telemarketing em outra empresa. Posteriormente trabalhei como assistente de marketing digital e agora como analista de atendimento no setor de suporte.

Você acredita que as mulheres têm espaço no mercado de tecnologia em MG?

Acredito que pouco, mas comparado há alguns anos tem aumentado. Porém no setor de desenvolvimento e programação ainda é raridade, a maioria se encontra nos setores de suporte.

Em sua opinião, o que falta para as mulheres terem mais espaço no setor de TI em nosso estado?

Pelo meu ver é uma área que ainda desperta mais interesse masculino nos cursos de Sistema Informação. Mas em relação as contratações, não generalizando, mas algumas empresas ainda optam por um time que acabam tendo uma maioria da equipe composta por homens.

Você identifica alguma diferença no mercado de tecnologia mineiro, ligada ao gênero dos profissionais que compõem e/ou lideram a empresa?

Não, acredito que em relação a gerência não influencia tanto.

Como conclusão, o que você sugere, para aumentar a presença feminina no mercado de trabalho mineiro?

Em relação ao mercado de tecnologia, o interesse em conhecer mais sobre a área e por parte das empresas abrirem as portas para as mulheres que tem o conhecimento necessário para ocupar as funções técnicas.